Somos o Clã Agent'axa da Escola Secundária D. João II em Setúbal. O nosso blogue é em homenagem ao escritor MIGUEL TORGA e ao Livro ANTOLOGIA POÉTICA.
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007
Entrevista a Miguel Torga

   Foi difícil, mas foi bem sucedido. Após vários convites temos hoje a possibilidade de ter connosco um dos maiores vultos da literatura portuguesa. Publicou dezenas de obras,  praticamente utilizou diferentes géneros literários.

Agent'axa: Boa noite, Miguel Torga

Miguel Torga: Muito Boa noite

Agent'axa: Somos uma equipa participante do Sapo Challenge e, como apreciadores das suas obras, decidimos escolhê-lo como figura que estruturará o nosso blogue. Para tal, gostaríamos de fazer-lhe algumas questões relativamente à sua pessoa.

Miguel Torga: Ah e tal e o catano, com certeza que sim.

Agent'axa: Diga-nos o seu nome de baptismo.

Miguel Torga: Desculpe lá, desculpe lá, mas não sou baptizado.

Agent' axa: Bem penso que não fomos muito esclarecedores, gostaríamos de saber o seu verdadeiro nome, uma vez que Miguel Torga é apenas um pseudónimo.

Miguel Torga: Ah perdoem-me...o meu verdadeiro nome é Adolfo Correia da Rocha, Rocha com "Ch" e não com x, sff!

Agent'axa: Sim, sim. Gostávamos também de saber a origem do pseudónimo Miguel Torga.

Miguel Torga: Não sei bem se sabem, mas sou transmontano e na minha terra há uma planta chamada Torga, de raízes fortes, mesmo fortes, daquelas tão fortes, tão fortes que até chateiam!!! uma pessoa tenta arrancá-las da terra mas não pode, porque são mesmo fortes...fortes, fortes, fortes...mesmo fortes e dada a minha personalidade (sou mesmo forte) identifico-me com Torga. Já Miguel, ora bem, não! Não escolhi Miguel pelo simples facto de todos se chamarem Miguel e por não querer fugir a vulgaridade...não! Escolhi Miguel por duas personagens espanholas que admiro com toda minha admiração: Miguel Cervantes e Miguel Unamuno. Grandes senhores, sim senhor...velhos tempos...mesmo bons tempos...

Agent'axa: Soubemos que você foi para o Brasil ainda jovem. O que foi lá fazer?

Miguel Torga: Velhos tempos, é o que digo...velhos tempos...Andava na casa do meu tio a lavrar a terra e a cuidar da bicharada, era uma festa, e a comida! Hum a comida...nunca me esquecerei da pamonha (*1) mineira, as de sal... as de sal eram as minhas preferidas. Mas como ia a dizer, fui trabalhar, mas como génio que sou não podia desperdiçar a minha vida numa fazenda, ou quinta como dizemos cá. Foi por isso que o meu santo tio (que Deus o tenha) pagou-me os estudos em Portugal e posso hoje ser conhecido pelas minhas produções literárias e os meus talentos talentosos.

Agent'axa:  Sobre o livro "Antologia Poética" , qual o poema que escreveu com o qual mais se identifica?

Miguel Torga: Identifico-me com cada um em  particular dado ao facto de que os meus poemas nasceram de mim, mas posso confessar que o poema "Orfeu Rebelde" foi feito sobre a minha pessoa.

Agent'axa: Que texto nunca voltaria a publicar?

Miguel Torga: Não me arrependo de nada que tenha escrito, arrependo-me antes do que ainda não escrevi. Tenho muito orgulho daquilo que faço.

Agent'axa: Nunca foi uma de muito contacto com o exterior, sempre foi muito recolhido. A que se deve tal facto?

Miguel Torga: Bem...É verdade que sempre fui muito reservado, facto este que deve-se a minha personalidade dura e fechada. Não gosto de expor-me com facilidade às pessoas, não dou-me muito bem com as pessoas que não me compreendem e não gosto de grandes eventos...É um bocado difícil falar sobre mim mesmo.

Agent'axa: Como mede o sucesso de um escritor?

Miguel Torga: O sucesso de um escritor mede-se pelas suas obras, assim como qualquer artista. Não se mede na quantidade de obras mas pela qualidade destas.

Agent'axa: Com uma obra literária tão vasta, como se caracteriza como escritor?

Miguel Torga: Não gosto de fazer uma autocaracterização. Gosto daquilo que escrevo e espero que o público goste da minha obra literária, faço o que faço por gosto principalmente e e penso que tenho tido sucesso.

Agent'axa: Que concelho daria a quem quer iniciar agora o seu percurso literário?

Miguel Torga: Nunca desistir, é o concelho vital para qualquer percurso e lutar, lutar por aquilo que realmente deseja.

Agent'axa: Porque razão escolheu a especialidade de otorrinolaringologia?

Miguel Torga: Escolhi essa especialidade pelo facto de gostar de ajudar as pessoas e por ter um tio surdo...era muito triste vê-lo daquela maneira e este mesmo serviu-me como inspiração para prosseguimento de estudos.

Agent'axa: Para finalizar esta entrevista, gostávamos de pedir que nos desse a sua opinião acerca do nosso blogue.

Miguel Torga: Ah e tal...pode dizer-se  que se safa, mas nao sou o melhor a descrever um blogue, porque no meu tempo isto não era assim...esta tecnologia toda dá comigo em doido...Mas desejo-vos boa sorte e que Deus esteja convosco!

Agent'axa: Muito obrigado Miguel Torga, estamos muito felizes com essa entrevista e desejamos-lhe um bom carnaval!

 

*1-Pamonha é um quitute feito de milho. O milho verde é ralado e à massa resultante é misturado leite e sal ou açúcar.Esta massa é colocada em "copos" feitos com a própria casca do milho que também serve como tampa.As pamonhas são submetidas a cozimento e sua massa alcança uma consistência firme e macia.



publicado por agent'axa às 15:55
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Nuno Sousa a 21 de Fevereiro de 2007 às 18:14
A entrevista tem partes engraçadas, mas devem ter mais cuidado a escrever; o rigor é fundamental.


Comentar post

Pesquisar neste Blog
 
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Mais Poemas de Miguel Tor...

Leitura do Poema "Não Pas...

Reportagem sobre Miguel T...

Entrevista a Miguel Torga

O Livro: Antologia Poétic...

Biografia Miguel Torga

Março 2007

Fevereiro 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds